December 3, 2017

September 18, 2017

Please reload

Posts Recentes

Epicondilite e ombro, qual a sua relação?

September 8, 2018

1/2
Please reload

Posts Em Destaque

Pilates

September 18, 2017

(artigo publicado em https://www.bwizer.com/pt/a-bwizer/noticias-/pilates_e_pilates_appi_por_sara_costa.html)

 

Joseph Hubertus Pilates é o nome do criador deste método amplamente difundido mundialmente. Joseph Pilates nasceu na Alemanha em 1883 e enquanto adulto foi um saudável atleta praticante de diversas modalidades como o sky, mergulho, ginástica e boxe. No entanto, esta sua paixão pelo desporto e pelo ideal grego de saúde (corpo, mente e espírito) foi desenvolvida devido a, em criança, ter tido asma e febre reumática (Pilates Foundation, 2017).

 

Em 1912, Joseph foi para Inglaterra trabalhar como instrutor de defesa pessoal dos detectives da Scotland Yard. Por essa altura, no decorrer da I Guerra Mundial, foi internado, bem como muitos outros alemães. Durante o seu encarceramento, este inovador alemão treinou diversos dos internados no seu método de exercício, refinando as suas ideias e conceitos (Pilates Foundation, 2017).

 

Mais tarde, já em liberdade, Joseph voltou para a Alemanha onde o seu tipo de treino ganhou visibilidade entre os profissionais de dança. Até à altura da sua morte, o agora conhecido método Pilates, era designado por Contrologia. Joseph e a sua mulher, Clara, aplicaram e ensinaram estes exercícios ao longo da sua vida no seu estúdio “Body Conditioning Gym”, em Nova Iorque (Pilates Foundation, 2017).

 

Este método tem alguns princípios básicos, são eles: respiração, concentração, centro, controlo, precisão e fluidez. Um dos focos de Joseph Pilates era acima de tudo, aprender a respirar correctamente (Pilates Foundation, 2017).

O Pilates, de acordo com a Pilates Foundation (2017), apresenta como benefícios:

  • Melhorar a postura, a saúde e a capacidade física;

  • Atingir objectivos físicos específicos e desafiar a capacidade atlética;

  • Reabilitar após lesão, cirurgia ou doença;

  • Retornar ao movimento;

  • Expandir a noção corporal;

  • Desenvolver confiança nas capacidades do corpo;

  • Parecer melhor, sentir melhor, viver melhor;

  • Viver uma vida mais feliz.

A APPI, acrónimo de Australian Physiotherapy & Pilates Institute, foi co-criada em 1999 por Glenn Withers e Elisa Withers, ambos autores publicados e oradores internacionais, considerados experts na área do tratamento da coluna e do Pilates. Actualmente a APPI está presente em mais de 16 países, trabalhando em parceria com instituições amplamente reconhecidas como: English Institute of Sport, British Military, English National Ballet, NHS, British Bobsleigh Association, Cirque De Soleil, Clubes de futebol da Premier League - entre eles Manchester United, Tottenham, Chelsea e Arsenal (APPI, 2017).

 

Este instituto preconiza cinco elementos chave para o seu método de ensino do Pilates:

  • Respiração lateral (costelas inferiores);

  • Centro;

  • Posicionamento do tórax;

  • Posicionamento da omoplata;

  • Posicionamento da cabeça e pescoço.

Existem diferenças importantes entre o método original de Joseph Pilates e o método da APPI. Relativamente a este último podem destacar-se, por exemplo, a coluna neutra (em vez de imprinting), contracção do transverso a 25% (em vez de contracções máximas em bracing), movimentos selectivos adaptados a cada condição clínica. Esta variabilidade deve-se à necessidade que os seus criadores, ambos fisioterapeutas, sentiram em adaptar o método a pessoas com dor, patologia e em fase de reabilitação.

 

A dor lombar é um dos principais motivos que leva as pessoas a procurarem o método, seja por iniciativa própria ou por conselho de outrem (médico, fisioterapeuta, treinador, ou mesmo da vizinha que também faz e se sente melhor). A dor foi, há alguns anos, considerada o quinto sinal vital. De acordo com Morone e Weiner (2013), este facto levou a que este sintoma e, por conseguinte, as queixas do paciente fossem mais valorizados em contexto clínico, no entanto, devido à subjectividade inerente à avaliação da dor, criou algumas dificuldades e até mesmo prescrição medicamentosa desnecessária.

 

Se pretende descobrir mais sobre como o Pilates pode ajudar na sua condição de saúde, ou potenciar os resultados na sua performance desportiva, consulte um fisioterapeuta ou profissional especializado no método.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga